Playlist

domingo, 9 de outubro de 2011

Calendário - Eterna briga

Ouço cuidadosamente opiniões sobre os problemas apresentados pelo calendário brasileiro para os clubes de maior investimento no futebol. Invariavelmente as opiniões são emitidas sem conteúdo, sem o pensamento no futebol enquanto negócio, apenas prevalecendo um pensamento elitista de campeonatos regionais cada vez mais enxutos.

É um erro achar que o Campeonato Regional atrapalha o desenvolvimento do clube na temporada. Os regionais tem uma importância muito grande para que o futebol seja um esporte nacional. Sim, pois se o grande público torce para Corinthians, Flamengo, São Paulo, Vasco, etc... o que dizer de centros como Cuiabá, Belém, Campo Grande, Goiânia...

É evidente que mesmo nesses centros, a grande preocupação seja para os grandes clubes brasileiros, mas a longo prazo, se não cuidarmos do negócio futebol, ele gradualmente será substituído por outros investimentos igualmente rentáveis e que mobilizem a cidade. Temos como exemplo, o Volei, o Futsal, o basquete, enfim... o torcedor do time grande é identificado com a sua cidade e precisa ter um time que personifique essa ligação, que faça com que o futebol não morra.

Nesse sentido, o fim dos regionais pode a longo prazo matar o futebol. Por isso, a proposta é que os grandes se retirem do futebol regional. Se não é economicamente viável, que o Regional continue sem a participação dessas equipes. Que para eles, o regional seja uma categoria de formação, com times sub20 e que deem a oportunidade dos clubes pequenos possam voltar a ser formadores de grandes jogadores.

A grande solução do futebol passa longe da transformação em esporte de elite, e muito perto do orgulho regional que o brasileiro tem. Clubes grandes... retirem-se dos regionais. Deixem-o para quem tem ambição de vencê-lo. Continuem formando seus jogadores através desses torneios.

Essa é a minha contribuição!

Marcelo Alves Bellotti

Nenhum comentário:

Postar um comentário