Playlist

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Categorias de Base - clubes pedem exclusão do São Paulo

Recentemente ouvi o Edu Gaspar, executivo de futebol do Corinthians e membro de uma Comissão de Ética que reúne cerca de 40 clubes da série A e da série B do futebol Brasileiro ponderar sobre posturas éticas envolvendo as categorias de base do futebol no Brasil.

O tema principal era a postura do São Paulo Futebol Clube, já famoso no mercado da bola por praticar abertamente o aliciamento de atletas de outros clubes. Esse código de Ética não é uma entidade formal, tem apenas um conjunto de intenções que visa uma melhor convivência entre os clubes. Porém a notícia é que o time do Morumbi andou procurando jogadores de outos times sem o conhecimento desses para oferecer-lhes uma oportunidade melhor.

Cabe ressaltar que a postura adotada pelo clube do Morumbi está longe de ser ilegal. O menor de 16 anos não pode trabalhar, está no Estatuto da Criança e do Adolescente. Baseado nesse fato, as equipes não podem celebrar contratos com esses atletas. Por esse motivo, via de regra os empresários ou os clubes contratam os pais do menino, ou firmam contratos de exclusividade com eles, que são maiores de idade, comprometendo-os a partir do final da infância (sub 11) até que seja permitido a assintura de um contrato (sub 20).

A discussão proposta é outra. Os clubes sabem que a grande saída do futebol hoje são as categorias de Base. Porém mantê-las equer um investimento alto, que faz com que os clubes procurem investimentos externos e parceiros. Desses parceiros se destcam as empresas de Marketing Esportivo, eventualmente bancos como o BMG, e prefeituras em cidades menores. 

Cada investidor tem o seu interesse, seja social ou comercial... em alguns casos, como o do Projeto Primeira Camisa de Roque Junior ou de inclusão social do Pão de Açucar, os investidores não conseguem acordo com clubes e montam estruturas próprias para levar adiante o seu investimento.

O fato é que quando esse investimento é feito, todos sabem que não há contratos formais que protejam os atletas aos seus clubes e que a qualquer momento eles podem receber um convite e simplesmente ir embora.

Para evitar isso foi criado esse "código de ética" visando uma aproximação maior entre os clubes e preservando seus investimentos e/ou investidores.

Mas o que parece é que o São Paulo desrespeitou isso. E a reação veio, na forma de boicote.

A Federação Mineira de Futebol organiza a Taça BH de futebol, que já se tornou um tradicional torneio da base no país. Os clubes resolveram boicotar o torneio, solicitando que o São Paulo não participe. Como não se trata de uma entidade formalmente estabelecida, não houve questionamentos  Porém, após o envio dos convites por parte da Federação Mineira, alguns clubes responderam condicionando a sua participação a exclusão do time do São Paulo.

Novamente, o que está colocado aqui são somente os fatos... uma discussão puramente ética. A opinião cabe a quem lê.

Marcelo Alves Bellotti

terça-feira, 23 de abril de 2013

Categorias de Base. Paulistão começa a temporada


Começou a temporada das categorias de Base no futebol Paulista. Desde a primeira semana de Abril, temos a disputa do Paulistão das categorias sub 15 e sub 17.



Temos esse ano um jogador que chama a atenção. O Santos Futebol Clube apresenta na sua equipe sub 17 nada menos que Joshua, um atacante de 16 anos. Trata-se nada menos que o filho de Pelé.

Sub 17

O campeonato segue e o destaque é o time do Comercial. Em três jogos, a equipe de Ribeirão marcou 16 gols. A melhor defesa é a do Linense, que  ainda não sofreu nenhum gol.

O curioso da primeira rodada foi a existência de três jogos que  terminaram com W.O. José Bonifácio, São Vicente e Radium não inscreveram seus atletas a tempo e não disputaram a primeira rodada.

Outro fato interessante foi a sonora goleada do Audax sobre o Bragantino pelo placar de 11 a 0.

ABC

A participação dos times do ABC tem sido bem discreta. No grupo 8, o São Caetano em três rodada ainda não marcou nenhum ponto. Os outros times do ABC se concentram no grupo 10.

Diadema e Agua Santa, ambos da cidade de Diadema se destacam com duas vitórias para o primeiro e uma vitória no caso da Agua Santa.

São Bernardo e Mauaense somam apenas três pontos ganhos em três jogos, sendo que os três pontos da Mauaense se devem a uma vitória por W.O.

Sub 15

Se o destaque positivo no sub 17 é o Comercial, o grande destaque do sub 15 é o Botafogo de Ribeirão Preto, com 15 gols marcados em três jogos. O Corinthians também aparece com 15 gols.

Mas a campanha do Botafogo realmente impressiona, pois além de ter feito cinco gols em média por jogo, o time ainda não sofreu nenhum gol. Apesar disso, o time não tem uma campanha 100%, pois empatou em 0 a 0 com o Sertãozinho.

ABC

A campanha dos times do ABC no sub 15 é bem mais destacada que no sub 17. No grupo 8 o São Caetano aparece com 7 pontos ganhos enquanto que no grupo 10, Diadema, São Bernardo, Água Santa e Mauaense ocupam a terceira, quarta, quinta e sexta posição, respectivamente.

Os jogos do Sub 17 são transmitidos todos os sábados pela Rede Vida. Para quem quiser acompanhar o filho do Pelé jogando, no próximo fim de semana a previsão para a transmissão pela TV é do jogo entre Santos x AA Portuguesa.

Lembrando que nesses jogos não há cobrança de ingresso. Prestigie a base do seu time. Nela em geral está a soluição para os grandes problemas de uma equipe

Marcelo Alves Bellotti

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Paulistão série A1 - A insanidade continua

O Campeonato Paulista da série A1 chegou ao final da sua primeira fase demonstrando uma superação dos times de menor orçamento no Estado. Discriminado pela FPF que paga a quatro clubes 80% a mais do que aos 16 restantes, Mogi Mirim e Ponte Preta terminaram a primeira fase entre os quatro primeiros.

O Mogi Mirim, segundo colocado da fase de classificação tem ainda o melhor ataque da competição, com 36 gols marcados em 19 rodadas.

Definidos os confrontos da segunda fase, hoje a FPF reuniu-se com os representantes dos clubes para anunciar datas e horários dos jogos. Um festival de insanidades...

O clássico da segunda fase entre Palmeiras e Santos ficou para sábado as 16h10, enquanto que o jogo entre os times do Interior Mogi e Botafogo ficou para 18h30. Para Domingo, o jogo da TV fica com o Corinthians (para variar) contra a Ponte e as 18h30 jogam São Paulo e Penapolense.

A insanidade ficou por conta da definição do preço do ingresso, que será de R$60.00 (inteira) e R$30.00 (meia) e pelo fato de que o clube que tem o vatagem de jogar "em casa" não será dono da arrecadação do jogo.

Então a arrecadação será dividida em 50% para o time que joga em casa e 50% para o visitnte. Repare que em nenhum momento o time que joga em casa e tem a vantagem do empate pode ser chamado de mandante... a partir dessa fase o mando dos jogos pertence a FPF.

Assim, o clube visitante, que na maioria dos casos só deve levar 10% dos torcedores, pro força do regulamento, receberão 50% da renda. 

Pela tabela do campeonato, Linense,XV de Piracicaba, Bragantino e São Bernardo disputarão o Campeonato do Interior.

Essa é a razão da crônica paulista, que já não mnorre de amores pelo campeonato, defenderem a sua extinção. Com essa fórmula e disputado nesses moldes, ele realmente acrescenta muito pouco aos participantes.

Acorda FPF!

Marcelo Alves Bellotti

domingo, 21 de abril de 2013

Série A2 - Rio Claro garante classificação

A rodada da série A2 marcou a classificação para a série A1 do Galo Azul. Após uma grande campanha no começo do campeonato, uma queda de rendimento após uma ameaça de saída do seu técnico, o time do Azulão, como também é conhecido o time de Paulo Roberto, mostrou a sua força na fase decisiva e na tarde de ontem derrotou a equipe do Red Bull Brasil pelo placar de um a zero e garantiu o retorno a elite do campeonato paulista.

No grupo 2, o Guaratinguetá leva vantagem na briga para a segunda vaga, hoje tem sete pontos ganhos. Red Bull e Audax seguem na briga com remotas chances, com três pontos ganhos cada. A situação dessas duas equipes passa pelo fato de que nessa fase decisiva, o torcedor tem um papel decisivo nesses jogos. Audax e Red Bull até por características da sua formação, não tem tradição e nem torcedores. Só assim podemos admitir que a principal equipe da fase de classificação, no caso do Audax, tenha um desempenho tão pífio nessa fase.

Já no grupo 3 a briga é intensa e promete muitas emoções até a última rodada. A Portuguesa segue fragilizada após a goleada da última rodada e a desclassificação da Copa do Brasil pela equipe do Naviraiense joga suas chances de retorno para a elite do Paulistão em 2014 contra o Comercial. Ambas as equipes lideram o grupo som seis pontos ganhos cada, seguidas de perto por Capivariano e Catanduvense com quatro pontos.

Por enquanto, parabéns ao Rio Claro, do diretor de futebol Bozó, que me recebeu tão bem quando estive em Rio Claro e do competente técnico Paulo Roberto. Todo o elenco e sua estrutura estão de parabéns, pelo retorno a Elite do futebol em São Paulo.

Marcelo Alves Bellotti

sábado, 13 de abril de 2013

Paulistão na sua fase final

As três séries que compõem a primeira divisão do campeonato paulista estão caminhando para a sua reta final. Na série A2, a fase final já começou e tem como grande destaque negativo a presença do Audax. O time da capital que conseguiu a melhor campanha da primeira fase hoje soma duas derrotas na segunda fase e corre o sério risco de ficar de fora da vaga para o primeiro nível do futebol paulista. Guaratinguetá e Rio Claro dividem a liderança desse grupo com uma vitória e um empate cada um.

No outro grupo a Lusa segue firme em busca do seu retorno a série A1. Líder do grupo com 100% de aproveitamento, a Lusinha segue firme no seu caminho. Tanto Red Bull no grupo 2 como Capivariano, Comercial e Catanduvense seguem também com chances de acesso para a próxima temporada.

Na série A3 teremos amanhã o encerramento da primeira fase com decisões nos dois extremos da tabela. O campeonato chega a sua última rodada com muita emoção. A diferença que separa o terceiro colocado (Itapiernse) do décimo primeiro (Taubaté) é de apenas quatro pontos. No total são oito equipes brigando por cinco vagas. Independente (Limeira), Sertãozinho, Joseense, Batatais, Rio Preto, Internacional, Marilia e Taubaté brigam para chegar a segunda fase da competição.

Para não ser rebaixado, a briga também é intensa envolvendo o América, o Guaçuano, o São Vicente e o Palmeiras B. Esse último, inclusive, encerra as suas atividades nesse ano, independentemente da sua colocação. Barretos e União São João já estão rebaixados para a Segundona Paulista.

Na série A1, os destaques só podem ser negativos. Um campeonato completamente fora de propósito que surge pela vontade política do presidente da FPF que distribuiu um carro zero para cada uma das equipes participantes, além de um regulamento sem qualquer cabimento feito com o único propósito de acomodar os quatro times grandes sem que corram o risco de ficar fora de uma fase final e se agradar a TV que retransmite os seus jogos. Quando tínhamos apenas os quatro primeiros colocados se classificando, era normal que os times chamados grandes ficassem de fora, o que acabava prejudicando as intenções dos que fazem futebol em São Paulo.

Então em 2007 tivemos Corinthians e Palmeiras fora das finais, em 2008 Corinthians e Santos. Em 2009, o mudo perfeito. Quadrangular somente com os quatro times privilegiados pela TV e pela FPF. Em 2010, tivemos Palmeiras e Corinthians fora da disputa. Era natural que as coisas mudassem, então a partir de 2011, oito equipes se classificam. Essa foi a maneira encontrada para contar sempre com os times que agradam aos interesses dos que dirigem o destino do futebol em São Paulo.

O campeonato esse ano só serviu para que a crônica especializada defenda com cada vez mais ênfase a elitização do futebol e a morte do futebol fora dos grandes centros, em nome de meia dúzia de times chamados grandes em um futebol feito para que todos escutem via rádio ou assistindo pela TV.

Os destaques são sempre negativos. O time do Guarani foi rebaixado para a série A2 e em um jogo pra lá de polêmico o Atlético Sorocaba derrotou o Oeste de Itápolis por um a zero aos 50 minutos do segundo tempo com um gol aparentemente irregular.


Enquanto o campeonato da série A1 não demonstrar respeito aos seus 20 participantes, tratando-os não de forma igual, pois não são todos iguais, mas com o mínimo de dignidade, o campeonato terá essa resposta que está sendo dada hoje, com os clubes grandes menosprezando o campeonato, mas não abrindo mão do pequeno caminhão de dinheiro que ganham das federações e da TV para garantir a sua representação.

Algo tem que ser feito. Esse campeonato nessa fórmula não é mais possível. A FPF tem que se pronunciar a esse respeito e propor algo que atenda o interesse de quem defenda a elite do futebol paulista e seja minimamente digno para a grande maioria dos clubes do Estado, maiores responsáveis pela formação não do atleta... muito mais do que isso, da identificação do esporte em todos os níveis da sociedade!

Marcelo Alves Bellotti

sábado, 6 de abril de 2013

Grêmio Esportivo Mauaense

O futebol na região do ABC sempre foi muito forte no amadorismo. Temos até hoje uma tradição de grandes clubes e ligas muito bem organizadas. Por essa razão, a história dos clubes da região das sete cidades (Santo André, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo, Mauá, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra) em geral é bem recente.

No caso de Mauá, a cidade também tem uma história recente de emancipação. A história da cidade nos remete a figura de um dos maiores empresários brasileiros, o senhor Irineu Evangelista de Souza, Barão e Visconde com grandeza de Mauá. Em 1856 o Barão teve aprovado o decreto que autorizava a construção de uma linha férrea que ligara Santos a Jundiaí. Criou-se então a São Paulo Railway Company para a realização da obra. Como a presença do Barão na construção da Ferrovia era intensa, resolveram então se fixar em um vilarejo, a redor da Capela Nossa Senhora do Pilar as margens do Rio Tamanduateí, denominada povoado de Pilar.
Então em 1862 foi construída uma fazenda para abrigar o Barão e toda a comitiva que estava sempre presente na construção da ferrovia. A fazenda era de propriedade do Capitão João e possuía uma casa grande, onde hoje abriga a Casa da Cultura e o Museu Barão de Mauá. Desde a sua fundação, o povoado ou Vila do Pilar pertenceu a São Bernardo. Após o funcionamento da Ferrovia, em 1883 foi inaugurada a Estação Pilar e em 1926 ela passou a se chamar Estação Mauá. A partir de 1938 virou então Distrito de Mauá e foi integrada a Santo André.

Em 1943 começaram os movimentos entre os distritos andreenses para a emancipação. O plebiscito que tornou o Distrito de Mauá um município ocorreu em 22 de novembro de 1953. Em 1954 houve uma eleição e a posse da primeira prefeitura e a instalação dos vereadores eleitos se deu a partir de Janeiro de 1955.

Portanto estamos falando de um município de apenas 58 anos de vida e que a partir de 1981, por sugestão do então presidente da Federação Paulista de Futebol, o sr. Nabi Abi Chedid, resolveu inscrever um time de futebol para participar ativamente do cenário esportivo paulista e nacional. O nome encontrado foi Grêmio Esportivo Mauaense.

O legítimo representante de Mauá foi fundado em 15 de dezembro de 1981 e tem como suas cores o azul e branco. O Brasão, a exemplo do vizinho Santo André, remete ao brasão da cidade e ressalta a importância da ferrovia na vida do Mauaense.

O mascote é também curioso: a Locomotiva, surge no cenário como uma forma de homenagear o Barão de Mauá, principal inspirador do nome da cidade.

O time então começa a sua história a partir de 1982. Suas principais conquistas foram os títulos da série A3 em 1985, logo após a sua fundação, e o título da segunda divisão em 2003. A se destacar também a campanha do vice campeonato Paulista da Segunda Divisão em 1996.

Nesse período tivemos uma breve interrupção entre 1992 e 1993, quando a locomotiva encerrou as atividades profissionais.

Hoje, mesmo com todas as dificuldades impostas pela elitização do futebol moderno, sem uma imprensa forte devido a proximidade a São Paulo, o que impossibilita a maior divulgação do time, o Grêmio segue firme representando o município de Mauá no cenário futebolístico paulista.
O time manda seus jogos no estádio Municipal Pedro Benedetti, com capacidade para 10.500 pessoas e que foi inaugurado em 8 de dezembro de 1984, na partida Mauaense 1x2 São Paulo. Ao contrário do que acontece em outras praças esportivas, o nome Pedro Benedetti homenageia um grande futebolista da cidade que brilhou nas seleções locais na década de 60.

Em 2013 o Grêmio Mauaense disputará a partir de 27 de abril a segunda divisão do Campeonato Paulista, ao lado de Diadema, Jabaquara, EC São Bernardo (o legítimo Bernô), a Portuguesa Santista e o Água Santa de Diadema.

Marcelo Alves Bellotti