Playlist

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Rivalidades - Clássico Come-Fogo

No interior de São Paulo, temos histórias incríveis de rivalidades, sobretudo quando temos dois times de tradição na mesma cidade. É o caso de Ribeirão Preto com seus times, o Comercial e o Botafogo. O clássico é disputado oficialmente desde 1954, já no profissionalismo, em partida válida pelo Campeonato Paulista da Segunda Divisão. 

Apresentando os times

Botafogo Futebol Clube - Fundado em 12 de Outubro de 1918 na Vila Tibério, pela necessidade do bairro ter apenas um representante no futebol da cidade (na época eram três, o que fazia com que o bairro nunca conseguisse uma boa campanha nos campeonatos da cidade). Então se reuniram os representantes do União Paulistano, do Tibeirense e do Ideal, mais os funcionários da Estrada de Ferro Mogiana e da Companhia Antárctica Paulista. Decidiram então pela unificação, porém não conseguiam consenso com relação ao nome da agremiação. Até que alguém disse: "Ou vocês definem logo o nome ou então 'bota fogo' em tudo e acabem com essa história..."


Comercial Futebol Clube - fundado em 10 de Outubro de 1911, onde um grupo de comerciantes se reuniu na casa de Adaucto de Almeida, na Rua General Osório, número 47, com a finalidade de formar um novo time de futebol em Ribeirão Preto. Segundo relatos da época, a reunião só pode começar após as 20 horas, quando terminava o expediente comercial da época. Após a reunião que selou o nascimento do clube, ele foi batizado por uma votação do nome sugerido por Argemiro de Oliveira. Nascia então o Commercial Football Club.

Foto: Confronto de 1954
Apesar do primeiro confronto oficial, em partida válida por um campeonato somente ter acontecido em 1954, existem dois registros históricos como sendo o primeiro confronto entre as equipes. O primeiro relata uma partida ocorrida em 7 de dezembro de 1924, no Estádio da Rua Tibiriçá, que marcou uma vitória do Comercial pelo placar de 2 a 1.  Porém essa data foi contestada por um livro do jornalista Igor Ramos, que encontrou relatos de um jogo na data de 1º de Agosto de 1920, no Estádio da Rua Tibiriçá, então pertencente ao Comercial. 

O clássico recebeu o nome de "come-fogo" por uma crônica de Lúcio Mendes, que em 1954 escreveu sobre a possibilidade de um confronto oficial entre as duas equipes: "Imaginem um clássico entre o Botafogo e o Comercial, dentro do torneio de acesso. Um autêntico Come-Fogo! Sim, um clássico do nosso futebol principal, no futuro, na segunda divisão do futebol profissional bandeirante, será qualquer coisa de grandioso". A partir daí, o jogo passou a ser conhecido como come-fogo.

Há várias histórias que cercam o clássico. A maior goleada aconteceu em 17 de maio de 1955, na estréia do goleiro Pininho com a camisa do Comercial. Aquela foi a sua primeira e última partida. O jogo foi vencido pelo Botafogo pelo placar de 5 a 0. No dia seguinte, Pininho foi proibido de treinar no clube. Conta-se que esse jogo foi apitado por um juiz Russo de nome Vladimir Alexander, que quando chegou na cidade ficou hospedado na casa de um ex-diretor do Botafogo.

Conta-se também do suborno do goleiro Argentino Bonelli do Comercial, que mesmo com os salários atrasados, após uma partida contra o Rival em 15 de janeiro de 1956 apareceu para treinar com uma moto do ano. No mesmo jogo, os Botafoguenses dizem ter subornado o atacante Mairiporã. Mesmo após o empate em 3 a 3 e tendo o atacante feito os três gols do Botafogo, conta a lenda que ele foi cobrar o suborno, alegando que no final do jogo, perdeu um gol que não costumava perder. A história é que as partes se acertaram pela metade do combinado.

Em 2007, um lance inusitado. O jogo era válido pela série A2 (segundo nível) e foi vencido pelo Comercial. O goleiro do Botafogo foi pegar a bola atrás do seu gol, após uma discussão com o gandula. O lance acabou em uma agressão, confira...


O grande confronto entre as duas equipes aconteceu pela seletiva da CBD para o campeonato Brasileiro, em 1977. A entidade máxima do desporto brasileiro promoveu uma seletiva em melhor de três jogos para conhecer quem seria o representante de Ribeirão na primeira divisão do campeonato de 1978. O primeiro jogo no Estádio Santa Cruz marcou a vitória do Comercial pelo placar de 1 a 0, gol de Marco Antônio. O segundo jogo em Palma Travassos terminou com um empate em 1 a 1, gols de Marciano e Celso Orlandim. A terceira partida, jogada no Estádio santa Cruz também terminou empatada pelo placar de 1 a 1. Sócrates marcou para o Botafogo e Jader deu a classificação para o Comercial. Porém a CBD meses depois conformou as duas equipes para o Brasileirão. 

Sócrates e Geraldão
O maior artilheiro da história do clássico é Geraldão, do Botafogo, com oito gols marcados. Os clássicos foram disputados nos estádios da Rua Tibiriçá (Estádio do Comercial, de 1911 a 1936), em Luiz Pereira (Estádio do Botafogo, de 1918 a 1968), Costa Coelho (Estádio do Comercial, de 1954 a 1964), Palma Travassos (Estádio do Comercial, desde 1964) e Santa Cruz (Estádio do Botafogo, desde 1968).

Os números do clássico dão uma boa vantagem para o Botafogo, com 57 vitórias contra 27 do Comercial. A partida já teve 55 empates.

Esse ano teremos o clássico na divisão de elite do futebol paulista. A partida será disputada no dia 08 de março no Estádio Santa Cruz, a partir das 18:30 horas. Mais uma história de rivalidade na página do tradicional come-fogo.

Marcelo Alves Bellotti

2 comentários:

  1. Perfeito Bellotti, retratou com perfeição esta rivalidade que os Ribeirãopretanos sentem no coração a cada novo Comefogo.

    O que é triste é que o Comercial nos últimos anos não tem conseguido manter um time na elite do futebol para tornar o clássico ainda mais glorioso. Vamos torcer para o Bafo se manter na primeira divisão e assim nos proporcionar novos espetáculos.

    E que o Bota continue com esta campanha brilhante até agora, e que ainda vença o Comefogo.

    Puga

    ResponderExcluir