Playlist

sábado, 28 de abril de 2012

Acima da Lei?

O respeito as Leis e aquilo que é ético são requisitos básicos na educação do ser humano que vive em sociedade e deve permear o conceito de cidadania. Porém, o que podemos observar é que na sociedade em que vivemos, vale mais o conceito já antigo da chamada "Lei de Gerson", que em um texto infeliz para uma propaganda de cigarro na década de 70 decretava "afinal, o brasileiro gosta de levar vantagem em tudo, certo?".

Então o caso que passo a relatar abaixo não pode parecer estranho a quem lê. Inclusive poderá parecer normal o comentário de que "a polícia de São Paulo queria apenas aparecer"!

O fato é que a Polícia Militar estava procedendo uma operação de rotina nas imediações da Avenida Marquês de São Vicente quando abordou um veículo Audi branco sem a placa dianteira. Um Audi RS5 branco já chama a atenção, ainda mais sem a placa dianteira. 

Ao checar a documentação do veículo, a PM detectou que a única placa do carro encontrava-se em situação irregular. A placa traseira estava recortada e tinha um lacre que não correspondia com o lacre da cidade onde o carro foi emplacado. A placa dianteira encontrava-se no interior do veículo.

A documentação do carro registrava mais de R$ 10 mil em multas. A alegação do condutor é de que tinha adquirido o carro há muito pouco tempo e não estava ciente de tantas irregularidades. Porém o próprio condutor possuía 37 pontos em sua carteira de habilitação. A PM então apreendeu o carro. O que isso tem a ver com o futebol? O condutor do veículo era Luis Fabiano, jogador do São Paulo Futebol Clube que se dirigia para o treinamento da equipe. 

O fato revela o completo absurdo em que se transformou a sociedade nos dias atuais, onde não se repeitam mais as leis, apenas provar que somos "acima da Lei".

Há uma semana, o mesmo atacante declarou que a Federação deveria se reunir e retirar o cartão amarelo que ele recebeu contra o Bragantino e retirou ele da partida contra o Santos, amanhã no Morumbi, alegando que o cartão era injusto, mesmo contra a opinião de seu próprio Diretor de Futebol que disse que o cartão foi normal.

Ta na hora de repensarmos aquilo que queremos para a sociedade. Precisamos de mobilização mas não temos a menor ideia de como fazê-lo. Cada um tira da sociedade o máximo para se favorecer e reclama do outro que não faz nada. 

Lamentável!

Marcelo Alves Bellotti

Nenhum comentário:

Postar um comentário