Playlist

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Clássico de grande rivalidade na A2

Hoje as 17 horas em Rio Claro as equipes do Velo Clube e do Rio Claro FC entram em campo após 10 anos para a disputa de mais um clássico regional. A rivalidade é imensa e recheada de curiosidades. Por exemplo, ambos os times tem o mesmo mascote, o Galo. O Velo é o Galo vermelho e o Rio Claro é o Galo azul.

Pesquisei algumas curiosidades sobre o dérbi rio-clarense e encontrei um historiador de nome Nelci Pauletto, que relatou grandes confrontos e histórias curiosas. O primeiro Dérbi aconteceu em 10 de outubro de 1920, pelos times B de Velo Clube e Rio Claro e o jogo terminou 1 a 0 para o Azulão.

Entre os times principais, o primeiro jogo aconteceu em 07 de setembro de 1921 e terminou 6 a 1 para o Rio Claro. A maior goelada do Rio Claro sobre o Velo aconteceu em 1943, pelo campeonato Municipal, 7 a 0 para o time rioclarista.

Em 30 de março de 1989 aconteceu a maior goleada do Velo Clube... 11 a 2, em jogo pelo Campeonato Paulista, realizado no Estádio Benito Agnelo Catellano, o Benitão.

Também temos curiosidades com a imensa rivalidade, como no jogo de 1947, quando um diretor do Rio Claro FC inconformado com a marcação de um pênalti contra o seu time, invadiu o campo e não permitiu a cobrança, gerando um tumulto que culminou com a suspensão da partida...

Essas são pequenas histórias que fazem com que o nosso futebol não morra. Os defensores da elitização do futebol, que pregam o fim dos regionais em nome do profissionalismo não percebem, mas estão propondo a morte do futebol no Brasil.

O surgimento do "torcedor de sofá" hoje é uma realidade, bem como o avanço das torcidas organizadas dos clubes elitistas pelo interior do país, formando uma geração de torcedores de televisão, que dependendo de onde moram, nunca terão oportunidade de ver o time da sua preferência... e não apoiarão o time da sua cidade, que lamentavelmente fechará as  suas portas por falta de investimento e de público nos estádios...

Torcedor... apoie o time da sua cidade.

Marcelo Alves Bellotti

Nenhum comentário:

Postar um comentário