Playlist

sábado, 24 de janeiro de 2015

Muito mi mi mi...

O meia Bernard criou uma polêmica com relação a sua participação na equipe do Shakhtar Donetsk. O time Ucraniano veio fazer uma excursão no Brasil e uma série de amistosos. Antes de jogar em Minas, contra o Atlético Mineiro, o meia soltou o verbo contra o seu próprio time, para tentar justificar o fracasso que tem sido as suas atuações dentro da equipe.

Mas esse desgaste não vem de agora. Em agosto, após o final da Copa do Mundo no Brasil, o jogador simplesmente não se apresentou ao elenco. Na época, seu treinador (Lucescu) reclamou "O comportamento dele é simplesmente inexplicável para mim. Em 40 anos da minha carreira de treinador, eu nunca me deparei com uma situação como esta que estou observando com ele! Nós nos separamos de Bernard no dia 15 de maio, após a final da Copa [da Ucrânia]. Permitimos que ele fosse para casa mais cedo do que todos os outros. Pois agora já vai fazer quase três meses que a gente não o vê. E todo esse tempo, ele continua recebendo o salário do seu contrato"

Com relação a esse episódio, o atleta produziu um comunicado dizendo entre outras coisas que "Confesso sim, que estou com receio de voltar à Ucrânia" (leia a íntegra do comunicado). O fato concreto é que o time Ucraniano conta com mais de dez jogadores brasileiros que se apresentaram em tempo e não causaram problemas ao time Ucraniano.

Recentemente, o atleta se atrasou novamente a sua apresentação aqui no Brasil e irritou o técnico. Quando chegou para o jogo em Minas contra o seu ex-clube, declarou: "O momento, como eu disse, é de infelicidade, estou procurando meu espaço e eles estão cientes. Feliz ou não, tenho que trabalhar, eles investiram, pagam em dia e tenho que cumprir meu contrato"

Desta vez o técnico foi mais duro: "Bernard tem que demonstrar em campo que é homem. Bernard só chora. Só veio tomar dinheiro. Sofro, mas creio que todos querem sofrer para ganhar 300 mil euros por mês". O técnico ainda complementou: "Há jogadores talentosos, mas que não são preparados para o futebol mundial. Ronaldinho foi para um PSG menor que o atual e parou no Barcelona. Romário e Ronaldo começaram no PSV (Holanda) e foram para o Barcelona. Outros têm que fazer nome. Lucas, Pato, Robinho... Por que não deram certo? Porque quando entraram nestes times, com 18 anos, 19 anos, os clubes já queriam resultados imediatos"

O fato é que essa discussão mostra como são os valores dos nossos jogadores. É preciso pensar nessas atitudaes para melhorar o nível do nosso futebol. É certo que o técnico também é um falastrão, mas ele tem razão em tudo o que fala. Em um momento da entrevista ele diz: "[No Brasil] A torcida aplaude um drible, não se importa com a organização tática. Não há juízo de valor, há juízo estético. Bernard declarou que eu não colocava os mais habilidosos para jogar? O talento precisa ser aliado à disciplina, ao coletivo".

Acho que há o exagero, mas existem pontos que podemos refletir para podermos crescer no nosso futebol. Fizemos uma copa com um time pífio que só sabia jogar pelos lados e mandar a bola pro Neymar ou cruzar bolas para a área para o Fred ou em jogadas de bola parada. E depois da copa ainda dissemos que não houve nada de novo? Então nosso modo de jogo é pensado e proposital? Onde queremos chegar? Essa deve ser a reflexão... a discussão deve ser apenas um pano de fundo... eles que se resolvam... ganham muito bem para isso!

Marcelo Alves Bellotti

Nenhum comentário:

Postar um comentário