Playlist

sábado, 20 de junho de 2015

Federação Paulista e seu campeonato!

O Campeonato Paulista primeira divisão - série A1 se encerrou em 26 de Abril de 2015. Foi uma jornada de 18 rodadas, com jogos a cada quatro dias em que tudo o que pudemos ouvir foram críticas da mídia quanto a organização e do sentido do campeonato.

A Federação distribuiu aos clubes, de acordo com a sua colocação os valores conforme abaixo:

Campeão - R$3 milhões
vice - R$1 milhão
3 e 4 - R$300 mil
5 a 8 - R$200 mil
9 ao 16 - R$100 mil
os quatro rebaixados - nada

Cotas de Televisão
O Campeonato Paulista de 2015 segundo informou a ESPN distribuiu aos seus participantes a seguinte cota de Televisão, negociados ECLUSIVAMENTE pela FPF:

R$ 14,2 milhões para Corinthians, Santos, São Paulo e Palmeiras 
R$2,75 milhões para os 16 clubes restantes

Receitas
Se considerarmos somente a receita dos quatro clubes grandes, a FPF arrecadou dos clubes os seguintes valores:

Corinthians - R$784.940,25
Santos - R$235.933,50
São Paulo - R$148.058,25
Palmeiras - R$1.166.297,06
----------------------------
Total - R$2.335.228,96


Além disso, a FPF também arrecada exclusivamente com as publicidades dentro dos estádios, conforme regulamento Geral das competições:

Art. 28 - Somente a FPF poderá autorizar a colocação de placas de publicidade estática e/ou eletrônica, em primeira e segunda linhas, tapetes e de qualquer outra modalidade de material de merchandising nos Estádios, cabendo aos Clubes mandantes das partidas a responsabilidade pelo cumprimento desta obrigação, sob pena de interdição do Estádio, além de eventuais multas contratuais. 

Despesas de uma partida de futebol:
Com relação as despesas relativas aos jogos, que são organizados pela FPF e que precisam obedecer os regulamento, estes fazem parte da obrigações dos clubes. As obrigações são do clube mandante, devendo ser pagos diretamente ou por intermédio da FPF:

a) Ambulância;
b) Policiamento;
c) Ingressos e catracas;
d) Arrecadadores, bilheteiros, fiscais, monitores e porteiros (quadro móvel) e seus
encargos;
e) Seguro torcedor;
f) Fundo de manutenção de estádios;
g) Arbitragem e seus encargos, de acordo com as normas vigentes;
h) Exame antidoping, a ser realizado de acordo com as normas vigentes;
i) Recolhimento previdenciário sobre a receita bruta;
j) Aluguel de campo;
k) Contribuição à entidade de administração do desporto;
l) Outras obrigações estabelecidas por contrato, por lei ou pela FPF.

Como podemos ver, a perspectiva de arrecadação das Federações são infinitamente superior as despesas que tem com os clubes. E ainda recebem diretamente do borderô % da renda bruta, o que garante o recebimento de um valor mesmo que o jogo der prejuízo.

Uma parte da mudança do nosso futebol só será possível quando esse assunto for repensado. Nesse tópico citamos apenas os quatro clubes de mídia de São Paulo e da série A1 (primeiro nível). Por isso que a cada ano, os participantes do Paulistão são cada vez menos.

Pobre futebol...

Marcelo Alves Bellotti

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Técnicos brasileiros e seu perfil

Tenho escutado dos técnicos brasileiros que o grande problema do futebol brasileiro são os professores de Educação Física que infestam a base... que técnicos brasileiros, apesar de não trabalharem em nenhum lugar do primeiro nível do futebol mundial com destaque... que não acreditam nesses técnicos que vão a Europa tirar selfie e dizer que estão reciclando, etc, etc...

Enquanto isso, seus times em geral vivem de contra-ataque, bolas aéreas e jogadas de escanteio e faltas laterais. Fazem coletivos e rachões e ganham em geral, mais de 500 mi por mês

O perfil do técnico Brasileiro...

O técnico do Santos declarou após o jogo contra a Ponte Preta:  "É hora de dar chutão e parar de sair jogando. Eu sou da época de dar chutão e foi aquilo que falei lá dentro, para eles. Perdemos dois pontos de novo e será difícil recuperá-los. Lá em Minas, vai ser a hora do vamos ver"

Helio dos Anjos, técnico do Goiás declarou: “Fiquei chateado por tomar um gol aos 48 minutos. Não é fácil. Entramos com uma proposta clara. Nosso time não tem a característica de ter muita posse de bola. Mas poderíamos ter segurado um pouco mais nos minutos finais”

Felipão declarou, após o jogo contra o Veranópolis: " Me expulsei. Mais vergonha do que isso, impossível passar. A equipe não apresenta nada daquilo que a gente faz no treinamento. Não adianta ficar enganando a torcida do Grêmio. Não tinha mais o que fazer, fui embora para o vestiário. Acabou o assunto. Não criamos nada, os adversários vêm aqui e tomam conta do jogo. Não aproximamos. Faltava 3 ou 4 minutos e fui embora. Para não tomar uma atitude errada e esfriar a cabeça".

Marcelo Alves Bellotti

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Taubaté Campeão da A3

O time do Burro da Central conseguiu reverter a vantagem conseguida pelo Votuporanguense no primeiro jogo. Mesmo com a derrota por três a zero no primeiro jogo, o time do Taubaté foi superior ao longo dos 90 minutos e se sagrou campeão.

Parabéns ao Taubaté pelo título e para a Votuporanguense, o Juventus e o Atibaia pelo acesso para a série A2 em 2016


Marcelo Alves Bellotti