Playlist

sábado, 9 de agosto de 2014

Destaques na Série D

O Campeonato Brasileiro da série D segue a sua terceira rodada mostrando seus destaques em sua edição de 2014. A primeira notícia que merece destaque é o da estrutura que é proprietária do Betim que retorna para a cidade de Ipatinga. O time, segundo seu proprietário, retorna definitivamente para o vale do aço. Com a modernidade da Lei Pelé, que quis transformar clubes grandes em empresas, para poder responsabilizar criminalmente os seus dirigentes, além de não ter conseguido isso, pois os times grandes seguem sendo sociedades civis, ainda favoreceu essa situação , onde clubes empresas ficam trocando de cidade sem respeitar seus torcedores, apenas atendendo os interesses comerciais das empresas.

Em campo, o destaque é a equipe da Tombense, que após a vitória contra o Grêmio Barueri, tornou-se uma equipe com uma campanha 100%. Já o Barueri segue sem pontuação nos mesmos três jogos. Este é outro exemplo de clube empresa. Teve seus dias de glória, mas depois da ida e vinda de Presidente Prudente, nunca mais fez uma campanha boa e vem acumulando rebaixamentos seguidos.

Nos times paulistas, destaque para o CAP, que bateu o Metropolitano pelo placar de dois a zero e segue na segunda colocação do grupo A8 com cinco pontos ganhos em três jogos. O líder do grupo é o Londrina também com uma campanha de 100% com nove pontos ganhos em três jogos.

Temos ainda na competição o Clube do Remo, que segue na segunda colocação do seu grupo que é liderado pelo Moto Clube. O Ipatinga segue em uma campanha pífia, com apenas um ponto ganho em três jogos. Lembrando que o time já foi campeão mineiro. Pelo grupo A5, a liderança é do Brasiliense, que já foi vice campeão da Copa do Brasil. Já o atual campeão paulista, o Ituano cumpre uma campanha ruim, com duas derrotas em dois jogos.

Assim está a Série D, co m seus destaques e com extrema dificuldade para colocar seus jogadores em campo, sem apoio da mídia, vamos levando o futebol no Brasil.

Marcelo Alves Bellotti

Jogador irregular: O que prevalece?

Mais uma boa discussão para o nosso futebol. O que vale mais, o resultado em campo ou a legalidade do futebol. Uma coisa é certa... o sistema de inscrição de jogadores na CBF hoje é confuso e gera muitas dúvidas e discussões. Desta vez o prejudicado foi o time do Novo Hamburgo.

O Novo Hamburgo, time da cidade do mesmo nome que fica ao lado da capital Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul. O clube estava disputando a Copa do Brasil e teve um jogador expulso no jogo contra o J. Malucelli (que um dia já foi Corinthians paranaense). 

Esse jogador, de nome Preto, recebeu uma punição de dois jogos e cumpriu o primeiro na partida de volta contra o time paranaense. Ocorre que após essa partida, o jogador ficou sem contrato.O clube não o relacionou para o primeiro jogo contra o ABC e acredita assim que ele teria cumprido os dois jogos. Porém como ele estava sem contrato, a punição deveria ser cumprida no próximo jogo válido por uma competição da CBF, como acontece em todos os casos.

Preto renovou o seu vínculo com o clube e foi colocado em campo no jogo de volta contra o ABC que deu ao time gaúcho a classificação. O STJD julgou de maneira unânime que a escalação do atleta foi irregular e desclassificou o time de Novo Hamburgo. Em seu parecer, o relator do processo do STJD lamentou o fato da decisão alterar o resultado de campo.

O Novo Hamburgo se sente prejudicado pois alega que o árbitro induziu a escalação do atleta. “Aparecia que tinha um problema com a escalação do meia Preto, mas não sabia o que era”, afirmou Melinho (dirigente da Federação Gaucha) ao Futebol Interior.

O fato é que novamente um problema de inscrição de atletas faz com que um resultado obtido dentro de campo se reverta. Acredito sempre que deva prevalecer a legalidade, independentemente da intenção dos clubes, que nunca escalariam atletas para se prejudicar.

A diretoria do clube gaúcho vai apelar para o pleno do STJD e tentar reverter o julgamento, com base na alegação de ter sido induzida ao erro pelo trio de arbitragem.