Playlist

sábado, 21 de junho de 2014

Oberdan Cattani - Um mito na meta do Palestra

Ontem, no dia 20 de junho de 2014, faleceu o eterno goleiro do palmeiras, Oberdan Cattani. Tinha 95 anos e era o único remanescente vivo que tinha atuado no time quando ele ainda chamava-se Palestra Itália.  O velório começou na manhã deste sábado no Ginásio Palestra Itália e se estenderá até as 16h. Oberdan será enterrado no Cemitério de São Paulo, em Pinheiros, em cerimônia que se inicia às 17h.

O goleiro foi o primeiro grande ídolo na história do torcedor palmeirense. Jogou pelo time alviverde durante o período de 1941 a 1954 com números incríveis, com 351 partidas, sendo 207 vitórias, 76 empates e 68 derrotas.

Nesse período, conquistou a Copa Rio Internacional de 1951 (considerado por muitos palmeirenses como um título mundial), o torneio Rio-São Paulo de 1951 e os títulos paulistas de 1942, 1944, 1947 e 1950. Na conquista do título de 51, o goleiro não atuou contra a Juventus, sendo substituído por Fábio Crippa.

Mais do que esses títulos, Oberdan conquistou a torcida palmeirense. Famoso pela lenda de conseguir segurar a bola com apenas uma das mãos. Ao lado de nomes como Leão, Valdir de Morais e de Marcos, sempre será lembrado como um dos melhores goleiros da história palmeirense.

Felipão falou hoje em nome de todos os membros da Comissão Técnica da seleção brasileira que trabalharam no Palmeiras, lamentando a morte de Oberdan.

Mas seria também injusto não citar que o grande Oberdan também vestiu a camisa do Juventus. Foi no ano de 1954 e 1955 onde apesar de não ter ganho nenhum título, Oberdan se orgulha de ter vestido o manto Juventino e sobretudo dos amigos que conheceu no time da Moóca.

Um mito nunca morre. As defesas e as histórias de Oberdan ficarão sempre marcadas na memória do torcedor palestrino. Descanse em paz!

Marcelo Alves Bellotti

sábado, 14 de junho de 2014

Copa do Mundo começa empolgante

E foi dada a largada para a vigésima Copa do Mundo da História do futebol. Desta vez, o mega evento da FIFA acontece no Brasil. E em termos esportivos, essa Copa do Mundo começou realmente empolgante. Acompanhei a abertura da Copa no Estádio de São Paulo, que até hoje ninguém sabe o nome ou como chamá-lo. Prefiro o nome de Itaquerão... mais simpático.

O Brasil teve uma estréia bem tímida, o time muito apático e nervoso, mostrou vários erros, sobretudo a falta de compactação entre as linhas. Mas o time mostrou força e no final bateu a seleção Croata pelo placar de 3 a 1.

Mas dois jogos eram os mais esperados até aqui. O duelo que decidiu o último mundial entre Espanha x Holanda e o jogo de Manaus, entre Itália e Inglaterra. E os jogos sem dúvida superaram todas as expectativas. A Espanha foi goleada impiedosamente pela Holanda em um jogo sensacional pelo placar de 5 a 1 no calor da cidade de Salvador.


Já o temível jogo de Manaus, que começou com 30 graus e terminou com 26 graus marcou também uma grande partida entre Itália x Inglaterra. O time Inglês adiantou a sua marcação e dificultou ao extremo a saída de bola da Itália. Mesmo assim, o time italiano conseguiu a heroica vitória pelo placar de 2 a 1 com uma atuação de gala do meia Pirlo.

Um outro jogo muito bom foi a estréia da Colômbia, que mesmo sem contar com seu melhor jogador, o atacante Falcão Garcia se impôs sobre a equipe Grega e venceu pelo placar de 3 a 0. O destaque foi o gol do ex-palmeirense Pablo Armeiro, que fez a sua dança característica, o "Armereixon". 

Além da decepção  do futebol apresentado pela Espanha, outra grande decepção dessa rodada foi o jogo entre Uruguai x Costa Rica. A celeste olímpica jogou muito mal e foi derrotada justamente pelo placar de 3 a 1 de virada.

No mais, destaque para a vitória do Chile sobre a Austrália pelo placar de 3 a 1 com um gol de Valdívia que joga no Palmeiras e um gol de Beausejour, que jogou no Grêmio em 2005.

Isso porque a Copa só está começando... 

Marcelo Alves Bellotti