Playlist

sábado, 31 de agosto de 2013

Paulisão da Segundona definindo os favoritos

A segundona Paulista vai caminhando na sua terceira fase demonstrando um equilíbrio nas duas primeiras rodadas.

A se destacar a equipe do Água Santa de Diadema, que chegou a sua segunda vitória em dois jogos, sendo a única 100% da terceira fase do Paulistão. Na rodada do meio de semana, a equipe de Diadema bateu o time de Atibaia pelo placar de 3 a 2.

O Campeão de Diadema, como é conhecida a equipe existe como equipe amadora desde 1981, já teve em sua equipe nomes como Claudecir, Capitão e Dinei. Em 2011 seus dirigentes decidiram por ingressar no profissionalismo. O time além das figuras ilustres, o time também revelou alguns talentos, como Neilton, hoje no Santos e Fabio Ferreira, hoje no Criciúma.

A torcida reconhece o esforço dos dirigentes e já no primeiro ano da sua existência como time profissional, comparece sempre em peso nos jogos no Estádio Municipal José Batista Pereira Fernandes, conhecido como o Distrital de Inamar.

Os favoritos em cada grupo também estão confirmando a sua condição. No grupo quinze, as equipes do XV de Jau, Matonense e Inter de Bebedouro bigam ponto a ponto. No grupo 16, além do Água Santa, destaca-se Portuguesa Santista e Atibaia. O grupo 17 mostra Cotia e Tupã saindo na frente e no grupo 18 destacam-se Olímpia e Assisense.

São os 16 melhores times que hoje disputam o acesso para a série A3 em 2014. Apesar das dificuldades, podemos ver que os clubes ainda revelam jogadores e conseguem ter apoio dos torcedores da sua cidade, sejam mistos ou não.

Acompanhe a Segundona Paulista... Apóie o time da sua cidade!

Marcelo Alves Bellotti

sábado, 24 de agosto de 2013

Polêmica, intolerância, discriminação...

Todos os ingredientes para essa salada que aconteceu nessa semana que cercou o noticiário do futebol. Não me atenho ao fato do protagonista de toda essa história jogar nesse ou naquele time. Mas lamento muito pela seqüência dos fatos.

Após reclamar de sua substituição no péssimo jogo do Corinthians contra o Coritiba, o atacante Emerson Sheik postou uma foto em uma rede social, onde dava um selinho em seu sócio e amigo. Tal atitude rendeu mais do que a polêmica criada no campo, ou até a polêmica vitória do time alvinegro, com um gol marcado em um pênalti no mínimo duvidoso.

Nesse momento choveram declarações de todos os lados, cercados de intolerância e preconceito. Além das piadinhas e da tiração de sarro. O brasileiro sacaneia qualquer situação, seja cômica ou trágica, não importa. Temos piadas para tudo. Porém o povo demonstra toda a sua ira quando percebe situações como a protagonizada pelo atleta.

O pior é que não houve nenhuma tentativa de demonstrar-se contra o preconceito, levantar uma bandeira ideológica... Nada disso. O próprio atleta não se prestaria a esse papel. Sua vida e sua carreira dão mostras de que não há em seus gestos, nada que chegue perto de nenhuma atitude movida por ideais políticos ou filosóficos. Faz o que quer por diversão, sem medir muito as conseqüências.

Para exemplificar em um parágrafo: Emerson Sheik chama-se Marcio Passos de Albuquerque. Nasceu em seis de setembro de 1981. Porém até 2006 usou uma certidão de nascimento falsa, inclusive para tirar o passaporte com o nome de Marcio Emerson Passos, adulterando o seu nascimento para seis de dezembro de 1981. Com essa certidão adulterada e esse passaporte falso, naturalizou-se catariano e jogou pela seleção do Catar, o que o impede de jogar pela seleção brasileira. Isso rendeu complicações ao país na FIFA e deve explicar o fato do atacante não ter sido mais convocado para defender a seleção daquele país.

Voltando ao polêmico selinho. Após várias explicações e dominar o noticiário esportivo, ontem o atleta se reuniu com a principal torcida organizada do time, que exigiu dele um pedido público de desculpas a "nação" que torce para aquela agremiação. Como não houve nenhuma motivação contra preconceito, ou qualquer conteúdo ideológico no ato do jogador, ele tratou de se desculpar... Porém o fez no pior estilo.

Na mesma rede social que divulgou a brincadeira, ele declarou: "Peço desculpas aos que se sentiram ofendidos pela brincadeira que fiz com um amigo. Não tive a intenção de ofender ninguém e muito menos a nação corintiana. Vou continuar honrando a camisa corintiana assim como tem sido nos últimos anos. Vai Corinthians!". Até aí, tudo de acordo com o script. Porém a nota no site da torcida o jogador solta essa "Não poderia ter feito isso, foi sem intenção, mas jogo em um clube de futebol, em um mundo cheio de rivalidades e provocações, qualquer comentário é motivo de chacota". Complementa dizendo: "Lamento se ofendi a torcida do Corinthians, não foi a minha intenção. Foi só uma brincadeira com um grande amigo meu, até porque eu não sou são paulino".

E assim caminha a carreira do atleta. Sem qualquer respeito ou ideologia, ele segue fazendo o que quer e ainda faturando com essa brincadeira. Afinal, ele vai "lançar" uma chuteira com os dizeres "Fora preconceito' e "Gentileza".

Esse é o país do futebol!


Marcelo Alves Bellotti

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Premiere League: Mais do Mesmo?

Como já dizia Iggy Pop... and now, the news...

Na terra da Rainha o futebol teve um reinício mostrando mais do mesmo... o Arsenal estreou com derrota para o Aston Villa pelo placar de 3 a 1, o Tottenhan, na estréia de Paulinho bateu o Crystal Palace por 1 a 0, gol do Soldado. Hoje o meu time preferido, o Everton batia o Norwich City por 2 a 0 e permitiu o empate. O Manchester goleou o Swansea City por 4 a 1 e pra fechar o Liverpool em um agrande atuação de Felipe Coutinho bateu o Stoke City por 1 a 0. Fechando a rodada de domingo o Chelsea bateu o Hull City pelo placar de dois a zero. Destaque para a recepção calorosa do torcedor londrino ao Técnico José Mourinho.

No fechamento da rodada hoje a tarde o Manchester City goleou o Newcastle pelo placar de quatro a zero. A rodada inicial mostrou a superioridade dos times de Manchester. É só a primeira rodada, mas é bom a rapaziada abrir os olhos por lá!

Marcelo Alves Bellotti


sábado, 17 de agosto de 2013

São Paulo rebaixado?

Por conta da má fase do São Paulo futebol Clube, o assunto sobre um possível rebaixamento da equipe paulista em 1991 volta à discussão. Resolvi então deixar a minha contribuição sobre o assunto.

Cabe uma explicação, em 1990 o Campeonato Paulista foi disputado por 24 equipes. A discussão da época era que o campeonato era inchado, que deveria ter um número de participantes menor.

O então presidente da Federação Paulista na época decretou que em 1991 o campeonato seria disputado somente por 14 times. Os dez times que "sobrassem" juntamente com os quatro melhores times do segundo nível da época formariam o grupo intermediário. Para acalmar os clubes pequenos, uma vez que dez times sobrariam em um grupo onde teoricamente não haveria nenhum time grande, a FPF decretou que não haveria rebaixamento.

O campeonato foi disputado e algo saiu do roteiro. O São Paulo Futebol Clube ao final da primeira fase ficou em 8º lugar, sendo eliminado na primeira fase e tendo que disputar um humilhante rebolo. O pior acabou acontecendo! No final do rebolo, o São Paulo terminou o campeonato em 15º lugar.

Definiu-se então que o campeonato de 1991 na primeira divisão seria disputado por dois grupos. Um seria formado pelos 14 principais clubes e o outro pelos dez piores clubes do Campeonato de 1990 mais os quatro melhores da Segunda Divisão. Não haveria previsão de cruzamento entre os grupos.

Tanto que o presidente em exercício da FPF, Antoine Gebran, declarou a Folha de São Paulo "(...) Resta ao São Paulo a chance de subir para a série A em 92. Apenas o campeão da série B sobe (...) Esta fórmula foi aprovada por unanimidade por todos os 24 clubes que iniciaram o campeonato este ano".

As declarações da Folha não param por aí... 'Vamos cumprir a lei. Lei é lei', disse o diretor-adjunto do São Paulo, Herman Koester (...) Segundo ele, o São Paulo vai mesmo disputar a Série B, uma Segunda Divisão que só não recebe essa denominação por uma questão de nomenclatura jurídica. (...) Já o diretor de futebol Fernando Casal de Rey, 47, ainda não se deu por vencido. Ele disse que vai acionar o departamento jurídico do clube para saber se a aprovação da fórmula do campeonato de 91 é legal. Casal de Rey disse, sem ter certeza, que não existe um documento assinado pelos clubes sobre o assunto. Assim, ele poderia recorrer à Justiça Desportiva para mudar a fórmula. Ou seja, apelar para o tapetão. 'Estamos vivendo um pesadelo', disse Casal de Rey."

Óbvio que o São Paulo não disputou a Segunda divisão em 1991. Nenhum dos dez clubes que não se classificaram na repescagem, a saber, São Paulo, Santo André, Ponte Preta, Internacional, Noroeste, União São João, São Bento, Juventus, São José e Catanduvense disputaram a Segunda Divisão. Apenas formariam um novo grupo em 1991. Esses se juntaram a Sãocarlense, Rio Branco, Marilia e Olímpia para a formação do que foi batizado de "Grupo Amarelo".

Agora convido vocês a pensar... Qual seria o ganho do campeonato de 1991 que "resolveria" o "problema" do campeonato inchado, com 24 clubes de 1990? O campeonato Paulista de 1990 foi disputado por 24 clubes em dois grupos de 12 clubes. O campeonato paulista de 1991 foi disputado por 28 clubes divididos em dois grupos de 14 clubes. Em 1990 classificava-se 12 clubes para a segunda fase, enquanto que em 1991 a segunda fase foi disputada somente por oito equipes. Esse foi o ganho??? Muito pouco!!!

Na realidade, o campeonato de 1991 foi pensado pelos clubes de modo a criar uma "divisão intermediária" obviamente sem o cruzamento e que pudesse resolver o problema do alto número de jogos.

Então teríamos dois campeões na primeira divisão??? Isso mesmo!!! Para entender essa situação, basta analisarmos o campeonato como ele é concebido hoje. A FPF hoje oferece a seus clubes um campeonato da primeira divisão com três séries (A1, A2 e A3) com vinte clubes cada. A Segunda divisão possui 45 clubes divididos regionalmente em oito grupos sendo cinco grupos com seis equipes e três grupos com cinco equipes. Corinthians (A1), Portuguesa (A2) e São Bento (A3) formam o trio campeão da Primeira Divisão do Campeonato Paulista. A segunda divisão segue a sua disputa.

Voltando a 1991... Uma disputa sem o cruzamento entre os grupos não atenderia os interesses dos clubes grandes. Então tivemos um campeonato com dois grupos com cruzamentos. Havia também outra preocupação: O Campeonato Brasileiro na época não permitia a participação de clubes que estivessem na segunda divisão dos estaduais. Então, se o São Paulo disputasse uma "segunda divisão" não teria direito de participar do Brasileiro

O mais importante é citar que o campeonato de 1991 foi planejado para que não houvesse cruzamentos entre os grupos. O objetivo eram criar duas divisões na primeira divisão.

Por conta da incompetência do time do São Paulo, os campeonatos de 1992 e 1993 foram disputados com a previsão de cruzamento entre os grupos. Ao consultar os campeonatos paulistas disputados nesses anos, constatamos que não há registros de campeonatos de segundo nível, o que caracteriza esses dois grupos como dois níveis (divisões, portanto) diferentes!

É tudo uma questão semântica! O São Paulo nunca disputou a Segunda Divisão do Campeonato Paulista. Assim como o Santo André, por exemplo, não disputa a segunda divisão em 2013 (está na série A2).


Marcelo Alves Bellotti

Rodada decisiva na Segundona Paulista

A Segunda divisão (quarto nível) do Campeonato Paulista chega a sua rodada decisiva na segunda fase.

Nesse Domingo será disputada a última rodada dessa fase. Até aqui temos definidas as classificações de oito equipes: CAD (Diadema), Internacional de Bebedouro, Tanabi, União de Suzano, XV de Jau, Primavera de Indaiatuba, Água Santa (Diadema) e Tupã.

A se destacar a ótima campanha dos dois caçulas do ABCD paulista. As equipes de Diadema brilham no ano de sua estréia. A população deu o seu apoio e tem comparecido nos jogos e as equipes tem retribuído em campo, com campanhas consistentes.

A seguir, as disputas acirradas pelas vagas restantes:

No grupo 9, com a classificação do Diadema, a segunda vaga será decidida entre Assisense e Fernandópolis, que estão empatados no segundo lugar com oito pontos cada.

No grupo 10, a classificação fica entre Grêmio Prudente com sete pontos e Paulistinha de São Carlos com seis. O Grêmio Prudente encara o Inter de Bebedouro no estádio municipal Paulo Constantino, em Presidente Prudente enquanto o Paulistinha pega o AEA Araçatuba em São Carlos.

No grupo 11 a a briga da vaga fica entre a Briosa (Portuguesa Santista) com oito pontos ganhos e a Matonense com cinco. Enquanto a Briosa enfrenta o ECUS, a Matonense enfrenta o Tanabi, de Viola e Marco Antônio Bioadeiro. Para a Briosa, basta um empate para passar a próxima fase sem depender o índice técnico.

No grupo 12 a classificação está entre o XV de Jau e o Olímpia. O Galo da Comarca (XV) tem nove pontos ganhos e joga contra o já classificado USAC (Suzano). O Olímpia joga tudo contra o SEV Hortolândia de olho na vaga por índice técnico.

No grupo 13 a situação está definida. Os classificados são Primavera e Água Santa. Osasco e União de Mogi apenas cumprem tabela.

No grupo 14 a vaga fica entre Atibaia e Cotia, que recentemente contratou Boquita, ex Corinthians e Portuguesa. As duas equipes somam oito pontos e fazem o jogo decisivo no estádio municipal Salvador Russani em Atibaia. Nesse grupo o Tupã já classificado joga contra o Américo.

Ao final da rodada, mesmo com derrota, os clubes com oito pontos se classificarão, pois além dos dois melhores de cada grupo, completarão a classificação os quatro melhores classificados por índice técnico.

A Rede Vida de televisão estará acompanhando um desses jogos. Ela transmite Fernandópolis e Assisense. O derrotado para não se classificar deverá ser ultrapassado por quatro equipes. 

Acompanhe o time da sua cidade! Não deixe que o futebol moderno te coloque trás de uma poltrona vendo os jogos somente pela TV. Compareça e prestigie!

Marcelo Alves Bellotti

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Brasileiro - Rápidas da Primeirona

O Campeonato Brasileiro seguiu com uma rodada bem interessante se não pelo lado técnico, mais pela emoção dos jogos. A rodada ontem mostrou jogos que tornaram-se interessantes pela demonstração de vontade dos atletas em campo.

O primeiro exemplo foi no jogo Cruzeiro x Criciúma. O Cruzeiro disputa ponto a ponto a liderança do campeonato e não poderia pensar em um outro resultado que não fosse a vitória. E ela veio com um gol fantástico do jovem Ricardo Goulart, revelado nas categorias de Base do Esporte Clube Santo André, onde participou da campanha do vice campeonato Paulista de 2010. Goulart teve ainda uma passagem pelo Inter e se destacou pelo Goias na série B do ano passado.


O Fluminense teve outro bom jogo contra o Vitória. O elenco tricolor tem potencial e não figuraria por muito tempo na zona de rebaixamento. A chegada de Wanderley Luxemburgo contribuiu para a subida do time na tabela. Novamente o time mostrou força e Fred provou que está em boa fase, aproveitou a falha do goleirão e fez o gol de empate, já no final do jogo.

Aliás, os lances finais dos jogos deixa a certeza que o Campeonato Brasileiro de 2013 é realmente jogado ponto a ponto. Em Minas Gerais, o Atlético mediu forças contra o líder Botafogo e chegou ao empate no último lance do jogo. Aliás, não é a primeira vez que o Botafogo sofre o empate no fim do jogo, já tinha sido assim contra o Flamengo. Por pouco o Atlético-MG não chega a vitória, tal a pressão exercida no segundo tempo em busca do empate.

Mas a emoção maior veio do estádio Mané Garrincha, em Brasilia. Lá estavam em campo as equipes do Flamengo e da Portuguesa. O Flamengo derrotava a Lusa poo um a zero e tinha um jogador a mais. No último lance do jogo, escanteio para a Lusa e o goleiro Lauro vai a área, no desespero para empatar o jogo. E o empate veio. Gol de Lauro, para delírio da torcida da Lusa. E o goleirão Lauro comemora o seu segundo gol marcado contra o Flamengo. Em 2003, jogando pela Ponte Preta, também marcou contra o Rubro Negro e ajudou a Ponte a permanecer na elite daquele ano.

Aos poucos o Brasileirão vai "pegando" para os torcedores, seja na parte de cima da tabela, seja na parte de baixo. E quando falta técnica, a raça e a vontade garantem a emoção dos torcedores. Bel rodada.

Marcelo Alves Bellotti