Playlist

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

E se a Champions League fosse disputada no Brasil?

Chegamos a segunda fase da Champions League, o principal torneio de futebol do mundo. Ao redor do planeta, milhões de pessoas acompanham cada passo de seu time favorito, em geral os times que possuem em seu elenco, jogadores em geral Brasileiros que jogaram em seus times.

A Champions, de acordo com o blogueiro Alexandre Mignoni pagou 754 milhões de Euros para os seus participantes, em 2011. A final entre Barcelona x Manchester United distribuiu 53,2 milhões para o Manchester United e 51,02 para o Barcelona. Seguiu-se Chelsea (44,.52 milhões de euros), Schalke 04 (39,75 milhões), Real Madrid (39,.28 milhões), Internazionale de Milão (37,98 milhões), Bayern München (32,56 milhões ) e Tottenham Hotspur (31,13 milhões).

Todo esse investimento pede uma contra-partida. Para que o evento entre CSKA Moscou x Real Madrid acontecesse, o estádio deve obrigatoriamente ser entregue a UEFA, totalmente. O estádio é adesivado pela UEFA com os patrocínios e o clube perde o direito de acesso ao seu estádio. Fico pensando se essa competição envolvesse a sociedade brasileira. 

Logo no primeiro jogo, os clubes já começariam com um movimento para colocação de patrocínios próprios para os jogos em seu mando, pois afial de contas, quem patrocina o Paulistão quer também a Champions... O segundo ponto de discórdia viria da sociedade civil. Sim, pois o principal patrocinador do evento (há anos) é ma marca de cerveja... é preciso deixar claro que é expressamente proibido a venda de bebidas alcoólicas no país. 

Resolvidos esses dois pontos? Ok, porém todos os estudantes e maiores de 65 anos tem o sagrado direito de pagar meia-entrada, No caso de estádios públicos, dependendo do estádio, os servidores públicos municipais também tem esse direito.

Ah... tem também os camarotes. Os clubes negociam seus camarotes e em nenhum momento esse direito deve ser ameaçado não importa o motivo... entregar o estádio sim... os camarotes, não!!!

Tudo com amparo legal... a Champions League viria para semear a discórdia... Os consumidores atingidos em seus direitos moveriam ações milionárias contra o real responsável pela competição, a saber, a UEFA, os clubes, suas federações e o Governo. Sim por que o Brasil tem trezentas mil preocupações com coisas muito mais importantes como educação, saúde, etc... e não tem nenhum motivo para incentivar a participação nesses torneios.

Ufa... enfim, a Champions League que permaneça na Europa... lá isso tudo é normal... pode , Arnaldo?

Marcelo Alves Bellotti 

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Mascotes - Histórias do Futebol Brasileiro

O futebol brasileiro é rico em histórias. Por ser um esporte popular, gestos e atitudes simples marcam a história de um time de futebol. Muitas vezes são situações engraçadas e ouras curiosas, como a do Taubaté.

O Esporte Clube Taubaté foi fundado em 01/11/1914, porém um fato curioso deternimou o apelido do clube que se transformou em seu mascote: Hoje o Taubaté é conhecido como "o Burro da Central".

Diz a história que durante a disputa do Campeonato Paulista de 1.954 da segunda divisão, vencido pelo prórpio Taubaté, em um jogo no dia primeiro de maio contra o Comercial de Ribeirão Preto, o time de Taubaté escalou o atacante Alcino, mesmo sabendo que ele estava com a situação irregular junto a Federação Paulista de Futebol. O Taubaté venceu a  partida pelo placar de 6 a 3, mas teve os seus pontos retirados pela Federação Paulista que o puniu pela escalação do atacante.

A imprensa paulista, porém não perdoou o fato, passando a chamar o Taubaté de "o Burro da Central"... 

Alguns anos depois, o apelido foi incorporado pelo clube, que criou o mascote e até hoje é conhecido pelo apelido. O curioso é que quando a torcida quer incentivar o time, grita "Burro, Burro...", os técnicos que não estão acostumados pensam que é com eles...

Títulos:
Campeonato Paulista do Interior - 1919, 1926 e 1942
Campeonato Paulista Segunda Divisão - 1954
Campeonato Paulista Intermediária - 1979
Campeonato Paulista Série A3 - 2003
Campeonato Paulista Sub-20 - Segunda Divisão - 1985


Outra história curiosa de mascotes é a do Clube Atlético Linense. O time é conhecido como "o Elefante da Noroeste". O clube foi fundado em 11/02/1930.

Contam que o apelido surgiu no final da década de 40, quando o time foi pentacampeão da região Noroeste e por três vezes chegou a final do Campeonato de Acesso, que daria a oportunidade do time de Lins participar do Campeonato da Pirmeira Divisão Paulista.

Na seguda vez em que o Linense disputou o acesso, o jogo foi acompanhado pelo jornalista de "A Gazeta Esportiva", chamado Ricardo Menegel, que ao escrever sobre a derrota da Linense disse que o time de Lins era muito pesado, porém muito persistente. Daí então foi criado o Elefante da Noroeste, já que o elefante é pesado, mas persiste no que faz.

O apelido perdura até hoje e traz fatos curiosos como o desfile de jogadores montados em elefantes, na comemoração do título de 1.952 ou um desfile de elefantes na pista de atletismo do estádio Municipal no ano de 2.000.

Titulos:
Campeonato Paulista - Segunda Divisão - 1952
Campeonato Paulista do Interior - 1952
Campeonato Paulista - Série A3 - 1977
Campeonato Paulista Série A2 - 2010
Penta Campeão do Noroeste Paulista - 1948, 1949, 1950, 1951 e 1952

Marcelo Alves Bellotti

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Estaduais no Brasil... problema sem solução?

Domingo após domingo, nas aberturas das Jornadas Esportivas, podemos observar o Senhor Cronista Esportivo desfilando a sua sabedoria suprema em todos os assuntos, sobretudo o futebol. Um assunto teima em constar nas pautas dos seus programas esportivos ultimamente... os estaduais pelo Brasil.

O Brasil é um país continente. Sua área abrange por exemplo, praticamente toda a Europa Ocidental. Comparar os seus campeonatos seria então, para ser simplista, insano. A única opção para popularizar qualquer esporte deve passar pela regionalização de seus campeonatos. O esporte torna-se mais barato e contará com o apoio popular. Esta é a razão pela qual hoje temos times populares no Brasil fora do Rio de Janeiro, sede do Governo Central até 1960 e sede da CBF.

Em São Paulo, o próprio Campeonato Paulista nasceu elitizado, para poucos participantes. Porém se repararmos, no interior existem clubes que são da mesma idade ou até mesmo mais velhos que os grandes de São Paulo. Como isso aconteceu?

As histórias que cercam esses times estão longes do conhecimento desses senhores, que parece não  passar de seu próprio umbigo. Torneios regionais, que beiravam o amadorismo faziam com que no interior do Brasil, o interesse no futebol atingisse o que é hoje, em plena geração de futebol de Sofá.

Acabar com o regional é acabar com esse orgulho. Mas hoje ponderaram que os campeonatos de Volei tem um público superior. Assim é a sua atuação... procura fatos isolados para justificar sua opinião torta. Vamos refletir sobre a afirmação:
Como analisar o sucesso de um evento? Pela verificação se o seu objetivo foi atingido.
Qual o objetivo do Volei, ao transmitir os seus jogos apenas em TV fechada? Popularizar o Esporte, trazendo o público aos ginásios.
Qual o objetivo dos clubes ao permitir transmissão para a TV aberta, inclusive para a praça onde o evento está sendo realizado? Atingir o maior número de telespectadores. Sim, pois as TVs são hoje a principal fonte de renda dos clubes.

Analisando então os fatos, veremos que ambos atingem os seus objetivos. Então futebol não dá lucro? Para os clubes que podem ter os seus jogos transmitidos pelas TVs, é claro que sim! Se acabarmos com os regionais, a receita da TV vai ficar apenas nas mãos dos grandes clubes. Com dívidas e sem apoio das federações, o futuro dos clubes pequenos é o encerramento das atividades, como mostra a reportagem de Edélcio Cândido para o Blog Grande ABC Esportes. http://grandeabcesportes.blogspot.com/2012/02/palestra-ameaca-nao-disputar-segunda.html

Com relação ao público pagante, antigamente o apelo para o torcedor comparecer ao estádio era maior. Hoje os estádios são de propriedade das Organizadas que em sua maioria, levam pânico ao torcedor comum. Sem público, sem o dinheiro da televisão e sem a Federação para promover os seus eventos... assim caminham os times pequenos... aí vem o cronista e decreta... por que esses clubes não fecham? Lamentável...

TORCEDOR, APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

Marcelo Alves Bellotti

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Clássico de grande rivalidade na A2

Hoje as 17 horas em Rio Claro as equipes do Velo Clube e do Rio Claro FC entram em campo após 10 anos para a disputa de mais um clássico regional. A rivalidade é imensa e recheada de curiosidades. Por exemplo, ambos os times tem o mesmo mascote, o Galo. O Velo é o Galo vermelho e o Rio Claro é o Galo azul.

Pesquisei algumas curiosidades sobre o dérbi rio-clarense e encontrei um historiador de nome Nelci Pauletto, que relatou grandes confrontos e histórias curiosas. O primeiro Dérbi aconteceu em 10 de outubro de 1920, pelos times B de Velo Clube e Rio Claro e o jogo terminou 1 a 0 para o Azulão.

Entre os times principais, o primeiro jogo aconteceu em 07 de setembro de 1921 e terminou 6 a 1 para o Rio Claro. A maior goelada do Rio Claro sobre o Velo aconteceu em 1943, pelo campeonato Municipal, 7 a 0 para o time rioclarista.

Em 30 de março de 1989 aconteceu a maior goleada do Velo Clube... 11 a 2, em jogo pelo Campeonato Paulista, realizado no Estádio Benito Agnelo Catellano, o Benitão.

Também temos curiosidades com a imensa rivalidade, como no jogo de 1947, quando um diretor do Rio Claro FC inconformado com a marcação de um pênalti contra o seu time, invadiu o campo e não permitiu a cobrança, gerando um tumulto que culminou com a suspensão da partida...

Essas são pequenas histórias que fazem com que o nosso futebol não morra. Os defensores da elitização do futebol, que pregam o fim dos regionais em nome do profissionalismo não percebem, mas estão propondo a morte do futebol no Brasil.

O surgimento do "torcedor de sofá" hoje é uma realidade, bem como o avanço das torcidas organizadas dos clubes elitistas pelo interior do país, formando uma geração de torcedores de televisão, que dependendo de onde moram, nunca terão oportunidade de ver o time da sua preferência... e não apoiarão o time da sua cidade, que lamentavelmente fechará as  suas portas por falta de investimento e de público nos estádios...

Torcedor... apoie o time da sua cidade.

Marcelo Alves Bellotti

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Neymar faz 100 gols e 20 anos

E o menino ficou mais velho. Já são 20 anos e a partir de ontem 100 gols marcados. Não podemos dizer que é uma marca expressiva, pois se lembrarmos, já se vão três temporadas do Brasileiro e mais o Paulistão.

Mas é motivo para comemoração. Mesmo que o momento não fosse propício em campo, afinal o futebol é  apenas um jogo, que nessa tarde de domingo, foi vencido pelo Palmeiras pelo placar de 2 a 1. Mas veio o centésimo gol de Neymar e de cabeça, no meio da zaga palmeirense.

Mas clássico é sempre clássico... O menino mostrou que ainda está em grande forma e comanda o time do Santos. Já o Palmeiras, saiu de alma lavada, com a certeza de que tudo pode mudar pelos lados do Parque Antártica.

Assim anda o Paulistão da série A1... chato, com a imprensa de São Paulo simplesmente se recusando de falar o nome do segundo colocado do campeonato, o Paulista de Jundiaí, preferindo citar os clubes de maior torcida.

Marcelo Alves Belotti